Coleção de abraços/1

 

“A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida. “

Vinicius de Moraes

O mais macio de todos,
nunca eu soube explicar o que queria dizer com isso.

Era como ver macio, sentir macio, era essa a presença dele pra mim.
Era me encaixar em cada superfície.
Sentimento/coisa amorfa querendo ser.
Tudo ao mesmo tempo.
Congestiono e córo.
Como se o corpo, meu corpo; ficasse em desalinho,
a vermelhidão no dorso,
no rosto.
Coração violoncelo atinge notas
que não sei onde ficam -Villa Lobos o saberia.
(As bachianas número 2?).
verdes citrícos, vermelhos e marrons talvez.
O gosto não sei.
E ainda os suores. os cheiros todos.
nos abraços éramos encontro,
Macio. puro. simples.
 

Anúncios

2 comments

  1. maracujá · Dezembro 28, 2010

    6 meses e 2 dias depois. de volta =}

  2. Lucem Fero Dei · Janeiro 16, 2011

    Consigo sentir o abraço, o macio dos braços circundando a espalda pela toada dos teus versos. A sinestesia não. Talvez por eu ser focado em minhas ações e sentidos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s