Outubro Azul

  

  Depois de meses viajando, na ausência do que dizer, palavras saem da mala constantemente e misturadas entre si, confusas.
  Chegar em casa é uma sensação tão prazerosa quanto achar comida na geladeira em dias de histeria.
  Foram mais meses do que o previsto. Longe. Embora eu sempre tivesse a certeza de que voltaria, confesso o desespero em alguns momentos. A fluidez do anonimato as vezes castigou-me por não dominar a língua nativa. Pior que isso, é a universalidade das informações subliminares: como traduzi-las? Sofri. Cansei. Gritei. Sorri. Dancei. Comi. Experimentei.
  Voltei. O frio na barriga no velho – e mutante – caminho para casa traz fios de memórias emaranhadas em felicidade pela nostalgia. E conforto pelo passado vivido. E agora, guardado.

  

Anúncios

2 comments

  1. Laís · Outubro 24, 2010

    parece o q senti sexta, qndo cheguei em niterói. sensação boa de voltar pra casa.

    • Anónimo · Outubro 26, 2010

      A importância das nossas raízes…sejam sólidas ou frágeis…elas nos são importantes em alguns momentos, sim. Eu acho.

      =)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s