O que eu disse

 
De olhos fechados
No topo de um prédio
As palavras não-ditas
Parecem-se com nuvens

(de diversos formatos:
Baleia, Pato, Llama
Na verdade, parece vários
Pingüins amontoados)

O pensamento negro
Morde seu ombro esquerdo
Escorre lágrima esquecida
Desce o corpo e vai ao chão

Lá a lágrima se transforma em
Borboleta Rosa Pálida
Voa em zigue-zague
Pousa na ponta do nariz

E você está de frente
Da próxima mágica revelada
Mais um laço bonitinho
Aparece em outro dedo

De olhos abertos
Novo sangue pulsa no pulso
E o você perde o ritmo
Diante da aceleração

Mas a qualquer hora
Você pode pegar nosso laço
E fazer cócegas em mim:
Sabe o lugar certo pra isso.

Quando você estiver
No topo de um prédio
De olhos fechados
Lembre-se que

Eu não disse
Adeus

Eu disse
Até

Anúncios

3 comments

  1. Bella · Outubro 8, 2009

    Até.

  2. renata · Outubro 8, 2009

    hasta la vista!

  3. Thiago Sabb · Outubro 8, 2009

    Até quem me vê, lendo jornal, na fila do pão…
    e por ai vai.
    Até é uma sugestão para um proximo encontro ou para o fim de uma vida contruida por dois ou mais.
    Tempo que me confunde em palavras sucessivas, sucessão, ou mesmo, sucesso.
    Sucesso é o que queremos!
    Que Napoleão o abençoe

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s